domingo, 25 de novembro de 2012

Golpes corpóreos

Tentei sentir a solidão
E caí, dissentido
Sem apoio nem ganha-pão
Num abismo indefinido
Criado
Por lobos humanos
Gerado
Por entes insanos
Temi o súbito
Temi Prometeu
Tremi, concúbito
Tremi... Eu...
Já fui copista
Já fui "Sade"
Alquimista, alfarrabista
"Maçon" e frade
E sempre pequei
Glória no crime
Já sequei...
Arrependi-me
Do bem que fiz
Esbofeteei
Quente e petiz
Torturei, suei, marquei
Cortei-te e sangrei
Ainda sinto teus cortes em mim
Já te bajulei
Agora mordo o lábio sem o "Sim"
Recordo tu' pele dócil... Como linho
Era fácil de cortar e sangrar
Agora... Estropio-me sozinho
É mais rápido o sarar
Cada vez mais
Difícil de quebrar
Jamais...
Jamais chorar...
Lágrimas lavadas
Essas não levavas
Se me soubessem magoar
Como tu magoavas!...

Sérgio Rodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário